Total de visualizações de página

terça-feira, 19 de junho de 2018

Motoristas com IPVA atrasado têm CNH cancelada: mito ou verdade?

Uma notícia tem corrido por aí em grupos de WhatsApp divulgando que o Superior Tribunal de Justiça teria autorizado o cancelamento definitivo da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do proprietário do veículo que estiver com o IPVA atrasado ou com o nome no SPC ou Serasa. Você recebeu essa mensagem? Será que motoristas com IPVA atrasado têm a CNH cancelada?

A informação é falsa. A mensagem inclui até mesmo um link para um abaixo assinado contra a suposta decisão. O texto afirma que o abaixo assinado foi promovido por advogados e que são necessárias 500 mil assinaturas para que o documento seja enviado ao Congresso Nacional, incentivando o compartilhamento nas redes sociais.

Caso a dívida fosse até R$ 2 mil, o cancelamento da CNH ocorreria por 12 meses. Acima deste valor, o condutor perderia o documento por 24 meses e ainda receberia uma multa. Já para quem deixar o IPVA atrasado acima de três meses, o cancelamento seria definitivo com multa de R$ 2.934,70.

Imagem: Estadão.

A postagem, porém, não passa de uma fake news. “As pessoas de má-fé se aproveitam do poder da internet para divulgar informações equivocadas e mentirosas e podem prejudicar os cidadãos de bem”, diz Eliane Pietsak, pedagoga especialista em trânsito, em entrevista ao site Portal do Trânsito.

Ela orienta as pessoas a não compartilharem mensagens desse tipo antes checar se o texto está publicado em sites confiáveis e que possa garantir a veracidade dos fatos.

A fake news surgiu após a divulgação da notícia real de que o STJ anunciou a uma decisão da Quarta Turma do órgão que confirmou a apreensão da CNH de um motorista até que ele quitasse uma dívida de R$ 16.859,10 com uma instituição de ensino. A cassação do documento é específico para este caso, mas abre jurisprudência para que seja realizada em outras instâncias da Justiça brasileira.

O que diz a lei

De acordo com o artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) o não pagamento do IPVA, Seguro Obrigatório e Taxa de Licenciamento é qualificado como infração gravíssima, com inclusão de 7 pontos na CNH e multa de R$ 293,47.


Fonte: http://www.penaestrada.com.br/motoristas-com-ipva-atrasado-tem-cnh-cancelada-mito-ou-verdade/

terça-feira, 12 de junho de 2018

35 DICAS PARA VOCÊ GASTAR MENOS COMBUSTÍVEL COM SEU 4X4

O gasto com combustível é sempre preocupante mas existe uma série de medidas que podem diminuir o consumo. Cuidando bem da manutenção de seu jipe e tomando alguns cuidados no modo de dirigir, é possível diminuir até 20% do consumo. 

1. Não é necessário esperar o motor aquecer. Saia logo que ligar seu jipe; apenas não force o motor nos primeiros minutos.

2. Não acelere antes de desligar o motor. Além da queima desnecessária de combustível, você estará diluindo o óleo lubrificante de motor com o combustível não queimado.


3. Acelere de maneira progressiva. Vá acelerando gradativamente, pressionando o acelerador à medida que se fizer necessário.

4. Ao ligar o carro, não acelere. Se há alguma dificuldade para fazer pegar, é sinal de que o motor está desregulado.

5. Solte o acelerador antes de parar o carro, usando o freio motor.

6. Não acelere entre as mudanças de marchas, quando estiver com o pé na embreagem.

7. Freadas e arrancadas bruscas aumentam o consumo. Procure manter uma velocidade constante.

8. Se o semáforo fechar, diminua a velocidade gradativamente, evitando manter a aceleração e frear forte só quando estiver próximo ao cruzamento.

9. Procure fazer a troca de marchas dentro da faixa de giro do motor recomendada (varia em torno de 3.000 rpm). Não estique as marchas desnecessariamente.

10. Não dirija em alta velocidade. O consumo andando a 100 km/h pode ser até 20% maior do que a 80 km/h.

11. Andar com giro baixo em marchas longas - 40 km/h em 5» marcha por exemplo - força o motor e aumenta o consumo.


12. Se for ficar parado por mais de 2 minutos, desligue o motor. O consumo é maior do que desligá-lo e ligá-lo novamente.

13. Nas descidas, utilize a mesma marcha que seria necessária para subir.

14. Retire do carro todos os objetos desnecessários. Eles aumentam o peso do veículo e consequentemente o consumo. Em uso urbano, acessórios como hi-lift, pranchas, patescas e outros só servem para aumentar o peso.

15. A utilização do ar condicionado pode aumentar em até 20% o consumo de combustível.


16. Os pneus devem estar sempre calibrados. Lembre-se de recalibrá-los se for preciso diminuir a pressão em trilhas mais técnicas com pedras ou areia.

17. Viaje com os vidros fechados, diminuindo assim o arrasto aerodinâmico.

18. Bagageiro normalmente causa resistência ao deslocamento. Se não estiver em uso, o ideal é retirá-lo.

19. Bagageiros muito cheios atrapalham a aerodinâmica. Dê preferência a modelos fechados (com desenho aerodinâmico) ou a colocar as bagagens no porta-malas.

20. Verifique periodicamente o estado dos cabos, velas e bobina, mantendo-os ajustados. Um bom funcionamento da ignição é fundamental para uma boa queima de combustível.


21. Mantenha a direção alinhada e as rodas balanceadas.

22. Ao abastecer, verifique se a tampa foi devidamente fechada, evitando um possível vazamento - principalmente em trilhas onde é comum seu 4x4 ficar inclinado.

23. Confira o estado da tampa do tanque. Se a vedação não estiver bem feita, a evaporação pode aumentar seu gasto com combustível.

24. Ao abastecer, não deixe que o frentista encha o tanque além do desligamento automático da bomba. O excesso pode transbordar e ainda corroer a pintura do veículo e danificar o canister (filtro dos gases do tanque).


25. Também para evitar a evaporação do combustível, procure estacionar à sombra.

26. Só abasteça em postos de confiança para evitar gasolina adulterada.

27. Com o tempo, a gasolina pode oxidar e formar uma espécie de goma que vai se depositando no sistema de alimentação acarretando um aumento de consumo. O uso de aditivos ou gasolina aditivada ameniza este problema.

28. Mantenha o motor regulado. Carburador, distribuidor e sensores dos bicos de injeção deverão estar com manutenção em dia.


29. Se seu jipe possuir roda-livre manual, evite andar na posição 4x4 sem necessidade. Rodando no asfalto, utilize sempre a posição 4x2.

30. Verifique o estado do catalisador. Danificado, ele pode fragmentar-se em pedaços que dificultam a saída dos gases de escape.

31. Embreagem patinando o força a acelerar mais para fazer o carro andar.

32. Mantenha o filtro de ar limpo. Faça a limpeza sempre que enfrentar muita poeira e substitua-o conforme a recomendação do manual do carro.


33. Após andar em lama e barro, dê ao menos uma ducha no jipe para tirar o excesso de barro acumulado, principalmente nas rodas.

34. Verifique os freios. Eles podem estar segurando o jipe mesmo sem ser acionado.

35. Verifique sempre o nível de óleo lubrificante. 

Por: Adriano Rocha / Ilustrações: Josemar Zadra
Fonte http://www.planetaoffroad.com/p03i.htm

terça-feira, 5 de junho de 2018

Aprenda a calcular com a nova tabela de frete

A tabela de fretes divulgada no último dia 30 pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), na semana passada, já está em vigor e deve ser utiliza até os primeiros dias de 2019. No entanto, pelo que me parece a tabela apresentada para cargas perigosas está errada. Não há como um frete desse tipo de caraga, que na maioria das vezes não tem retorno, ter um valor menor que o de carga comum. Confiram aí e vejam se não estou certo. 




A Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT divulgou na semana passada, no dia 30, a nova tabela de frete, com preços mínimos referentes ao quilômetro rodado na realização de fretes por eixo carregado. A fixação de uma tabela de frete foi uma das exigências dos manifestantes durante a greve dos caminhoneiros.

Várias medidas foram prometidas por parte do governo federal para que caminhoneiros cessassem as paralisações. Mas quais dessas medidas já estão valendo? Confira no link.

As tabelas têm caráter obrigatório para o mercado de fretes do país e foram elaboradas em conformidade com as especificidades das cargas e estão divididas em: carga geral, a granel, frigorificada, perigosa e neogranel. As informações são da EBC.

Os valores da tabela de frete mínimo valem até 20 de janeiro de 2019. As tabelas seguintes deverão ser publicadas até os dias 20 de janeiro e 20 de julho de cada ano e serão válidas para o semestre em que forem editadas.

É importante lembrar que os valores estabelecidos pela tabela são valores mínimos. Isso significa que se o motorista fizer seus próprios cálculos e chegar à conclusão de que o frete deve ser mais alto, ele tem o direito de cobrar um valor acima do indicado na tabela. 

Como calcular?

Os valores da tabela definem quanto deve ser cobrado dependendo da quantidade de eixos de caminhão e quilômetros a serem rodados. A ANTT divulgou um arquivo com os valores divididos em 5 categorias de carga, além de uma planilha de simulação dos custos de frete.

O Pé na Estrada disponibiliza um arquivo com os cálculos por eixo/km já prontos, para visualizar clique aqui.

Para usá-lo, você precisa saber: 
o tipo de carga a ser carregada 
quantidades de eixos do seu caminhão (cavalo+carreta) 
distância a ser percorrida 

POR EXEMPLO:

Um motorista fará rota São Paulo x Rio de Janeiro com um caminhão trucado, transportando móveis. Essas são as informações sobre a viagem que serão usadas: 
- tipo de carga: móveis (carga geral) 
- quantidades de eixos: 3 eixos 
- distância: 431 km 


Então, de acordo com a tabela, o valor cobrado por frete será referente à quantidade de eixos multiplicado pela quilometragem a ser rodada. Neste caso: R$ 3,00 x 431 km.

O frete custará R$ 1.293,00.

Esse é o valor do frete apenas de ida. Se a viagem não tiver retorno garantido, o estradeiro deve cobrar o valor do frete em dobro.

OUTRO EXEMPLO:

Um motorista fará a rota Goiânia x Belo Horizonte, com um bitrem. O veículo é um caminhão tanque. Essas são as informações sobre a viagem que serão usadas: 
- tipo de carga: combustível (carga perigosa) 
- quantidades de eixos: 7 eixos 
- distância: 910 km 


Então, de acordo com a tabela, o valor cobrado por frete será referente à quantidade de eixos multiplicado pela quilometragem a ser rodada. Neste caso: R$ 4,27 x 910 km.

O frete custará R$ 3.885,70.

Assim como o exemplo anterior, esse é o valor do frete apenas de ida. Se a viagem não tiver retorno garantido, o estradeiro deve cobrar o valor do frete x2.

Por Pietra Alcântara

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Meu Balanço da Paralisação Nacional dos Caminhoneiros

Parabéns a todos os bravos guerreiros que se mantiveram firmes na luta, há 10 dias. Com certeza, a mais bonita, consistente e organizada que pude vivenciar. Clique para ver mais fotos.



Quero aqui agradecer o apoio da minha esposa e filhos, que compreenderam o motivo da minha ausência, a todos que nos doaram diversos gêneros alimentícios e de higiene, aqueles nos levaram a palavra de Deus (especialmente ao Padre Moisés de Melo, que prontamente atendeu meu convite), aqueles que doaram seus dotes culinários, seu tempo, sua amizade, seu carinho. VALEU!



No entanto, infelizmente, posso afirmar que nosso movimento seria muito melhor e com resultados positivos para toda a nação, se você que está no conforto de sua casa não tivesse saído em uma corrida insana para abastecer seu carro ao primeiro sinal de que chegaria combustíveis aos postos, se não tivesse propagado falsas notícias, assim como informações públicas de onde teria combustíveis, se não tivesse estocado comida irracionalmente sem pensar que o próximo ficaria sem, se o dono no mercado não tivesse escondido mercadoria com o objetivo de causar histeria no povo e aumentar as mercadorias e seus lucros, se não corresse para carregar seus caminhões enquanto alguns poucos ainda estavamos aqui lutando por nossos direitos, se não tentasse misturar política em um movimento apartidário, se fosse para a rua e mostrasse a sua indignação...


Pois bem, chego a conclusão de que o que estraga o país não são apenas os governantes corruptos, mas todos aqueles  que afirmaram "Somos Todos Caminhoneiros", mas esqueceram o sentido da frase no exato momento que sofreram a mínima consequência financeira. O brasileiro, infelizmente em sua maioria, é individualista, egoísta e hipócrita. e tende a viver na mesmice, pagando cada vez mais impostos porque se deixa levar por um consumismo desenfreado. 



É difícil! Dá um nó na garganta! Chega doer... Mas estou cansado, não aguento mais. Sei que todos que estiveram comigo durante esses dez dias também sofreram inúmeras privações: longe de casa e da família, dormindo em uma cabine fria, tomando banho ao relento, sem ganhar um só centavo... Sei que todos têm limites, e sei que cada um de vocês resistiu enquanto pode. Infelizmente, para a galera que estava concentrada no Km 75, da BR-101 em Campos dos Goytacazes-RJ, parece que esse movimento chegou ao fim... PARABÉNS GUERREIROS! Tenham consciência que fizemos história e teremos orgulho, em um futuro próximo, de contar aos nossos filhos e netos tudo que vivemos. 



Quanto a mim, tenho a consciência tranquila que lutei até o fim. Vi o último caminhão deixar o movimento. Vi o "nosso acampamento" ser desfeito. Vi tudo acabar. Deixei tudo limpo... Também fui zoado, por pessoas pobres de espíritos, que se matam de trabalhar, não sabem fazer conta do custo de um frete, mas acham que estão levando alguma vantagem sobre mim...



Agora estou de volta ao meu lar, e como amanhã é dia de Guarda para os Católicos, estarei agradecendo a Jesus Eucarístico sua presença em minha vida. Semana que vem, se Deus quiser, estarei voltando ao batente. Espero que o governo federal e estadual ponham em  prática suas promessas.


Antes de terminar, não posso deixar de parabenizar, e desejar sorte e sucesso aos demais guerreiros que ainda resistem na manutenção do movimento pelo Brasil a fora. Que o Senhor possa intervir por vocês e por todos nós. 

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Caminhoneiros param rodovias do país em protesto

Chegamos ao nosso limite. Não há mais como trabalhar com o diesel subindo interruptamente desde julho de 2017 e como se não bastasse, desde a semana passada o aumento vem ocorrendo por cinco dias consecutivos. Isso mesmo que vocês acabaram de ler, cinco dias consecutivos com aumentos dos combustíveis nas refinarias, os quais são automaticamente repassados aos consumidores. Como trabalhar dessa forma? Estamos quase tendo que pagar para trabalhar.

Caminhoneiros protestam na BR-262, em Juatuba, na Grande Belo Horizonte, nesta segunda (21) contra o preço do diesel (Foto: DOUGLAS MAGNO/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDO )
O Brasil é um país que tem dependência da rede rodoviária, o país é literalmente é carregado sobre os pneus e nas costas dos caminhoneiros, e sem suportar mais essa situação caminhoneiros de diversas partes do Brasil estão de comum acordo fechando as rodovias federais e estaduais para a circulação de caminhões e veículos de carga. 


A mobilização é nacional, Foram registrados atos em pelo menos 17 estados: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.


Em Campos a coisa não está sendo diferente. Desde a noite de ontem, diversos representantes dos caminhoneiros fazem ato na altura do km 75 da BR-101 (trevo de acesso a estrada dos Ceramistas - RJ-238) contra o aumento do preço do diesel. Os caminhoneiros impedem a passagem de caminhões pedindo a adesão ao movimento. O protesto permite a passagem de carros de passeio e outros veículos.


Não há como se manter com todos esses reajustes sequenciais do diesel, sem contar que essa é apenas uma de nossas despesas. Atualmente, quase nada sobra de nosso frete.


A Petrobras elevou os preços do diesel em 0,80% e os da gasolina em 1,34% nas refinarias a partir de sábado (19). Com os reajustes, os preços dos combustíveis irão a novas máximas dentro da política em vigor desde julho, a R$ 2,3488 o litro de diesel e R$ 2,0680 o litro de gasolina.


Este é o 5º reajuste diário seguido. Na véspera, a companhia elevou em 1,80% o preço da gasolina, e subiu 0,95% o preço do diesel. No acumulado na semana, a alta chega a 6,98% nos preços da gasolina e de 5,98% no diesel.



Segundo a Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP), o preço médio do diesel nas bombas já acumula alta de 8% no ano. O valor está acima da inflação acumulada no ano, de 0,92%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).



PANORAMA DA GREVE DOS CAMINHONEIROS NO ESTADO DO RJ

BR 101 - NORTE

- Em Campos, no KM 75 da BR 101, presença de manifestantes NO ACOSTAMENTO, nos dois sentidos

BR 493 – RODOVIA MAGÉ X MANILHA

- Em Itaboraí, no Km 0 da BR 493, Presença de manifestantes NO ACOSTAMENTO, sentido Manilha.

BR 116 - DUTRA

- Em Barra Mansa, do Km 275 a 282, sentido RJ, presença de manifestantes NO ACOSTAMENTO E UMA FAIXA.

- Em Barra Mansa, no km 269 da BR 116, sentido SP, aglomeração de caminhões às margens da rodovia, sem prejuízo ao trânsito.

BR 101 - NITERÓI X MANILHA

- Em Itaboraí, no Km 297 da Br 101, sentido RJ, presença de manifestantes NO ACOSTAMENTO

BR 393- Em Sapucaia,no Km 104 da BR 393, INTERDIÇÃO PARCIAL.

Reprodução R7
Não sei em que vai dar tudo isso, mas tenho a certeza de que estou lutando pelos meus direitos, e de toda a minha classe de uma forma justa,. O que queremos é manter a nossa dignidade, pois da mesma forma que precisamos trabalhar, o Brasil depende de nós para a maioria de seus abastecimentos. Que todos possam compreender isso.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Avaliação médica obrigatória para caminhoneiros é aprovada

Será que vai dar funcionar? Necessário é, por isso a Lei foi aprovada, mas infelizmente estamos em um país que as Leis, na maioria das vezes, são feitas para serem desrespeitadas ou para favorecer um determinado grupo. Será que realmente estão preocupados com a saúde dos profissionais de estrada? Será que teremos mais um custo obrigatório? Confira a postagem e deixe aí sua opinião.


No último dia 30, a Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 4.365/16, do Senado, que torna obrigatória uma avaliação médica anual para motoristas profissionais do transporte autônomo de cargas.

O texto do projeto lembra que os caminhoneiros autônomos estão submetidos a condições desfavoráveis como jornada de trabalho desumana, com carga horária excessiva; estresse psicológico em função de prazos de entrega de mercadorias; precariedade de rodovias; e risco de sofrer roubos e latrocínios.

Costumam ser comuns, entre esses profissionais, problemas de saúde como prevalência aumentada de hipertensão arterial, refluxo gástrico e distúrbios do sono e do aparelho locomotor, entre outros. Segundo o Ministério Publico do Trabalho, o setor de transporte de cargas lidera o ranking de mortes no trabalho.

O projeto, que tem caráter conclusivo, ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Importância da avaliação médica

A proposta muda a Lei 13.103/15. Segundo o texto, os exames periódicos serão realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), já que os motoristas autônomos não costumam ter planos de saúde.

O autor da proposta, senador Eduardo Amorim, afirma que os caminhoneiros não são atendidos pela Lei Orgânica da Saúde, que declara ser atribuição do SUS a saúde dos trabalhadores.

Amorim considera que, na prática, geralmente “as empresas têm que providenciar serviços de saúde ocupacional para o atendimento de seus empregados, pois o SUS atua timidamente nessa área”. Com a aprovação da lei, o atendimento do SUS aos caminhoneiros será obrigatório.

De acordo com a proposta, a avaliação médica periódica dos motoristas, por meio de programa de saúde conduzido pelo SUS, trará indiretamente benefícios a toda sociedade brasileira, pois trará mais segurança às estradas e melhorará a qualidade do transporte de cargas no País.

Porém, o texto deixa algumas questões em aberto. Uma vez que as filas para atendimento no SUS são grandes e demandam tempo, o motorista terá de perder um dia de trabalho para realizar a avaliação? Quais são os exames incluídos? Haverá penalidade para o profissional que não realizar a avaliação?